Diretor de empresa líder em pesquisas para desenvolvimento de imunização à covid-19, o bioquímico Friedrich von Bohlen diz que uma vacina pode ser aprovada já no segundo semestre deste ano e, sendo assim, estar no mercado dentro de um ano. “Brevemente vamos iniciar os testes clínicos”, destaca. O bioquímico, que é membro do conselho de supervisão da empresa de biotecnologia CureVac,  garantiu em entrevista à DW, que um produto para imunização contra a covid-19 está em fase avançada de desenvolvimento. “Não sou clarividente, e isso também depende de muitos fatores que estão além do meu conhecimento. Provavelmente, no que depender de medicamentos, levará mais alguns meses. Quanto às vacinas, mais precisamente quanto à disponibilidade delas, também alguns meses. No que diz respeito à liberação para aplicação em humanos, devemos falar em coisa de um ano, em termos de vacinas”.

O pesquisador disse as etapas estão em andamento. “O melhor, claro, seria uma vacinação. Existem várias abordagens diferentes. Estamos usando a abordagem do uso do chamado mRNA (RNA mensageiro) como fonte de informação para desenvolver uma vacina. Brevemente vamos iniciar os testes clínicos [em animais]. Penso que esta é uma boa classe de substância para obter uma boa imunização”.

Além da aprovação, existe a questão da quantidade a ser produzida. “A grande incógnita atualmente, no tocante à vacina, é que ninguém sabe quanta imunização é necessária nos seres humanos para realmente prevenir uma infecção. Isso não dá para simplesmente prever ou testar em seres humanos de maneira descontrolada. É por isso que as medidas que conduzem a isso são definidas pelos órgãos reguladores. E tem que ser assim, porque devemos proteger os voluntários que são submetidos aos testes. Leva um certo tempo até que consigamos obter esse conhecimento. Isso só pode ser parcialmente acelerado”.