O complexo viário Ministro Roberto Campos é uma daquelas obras que dá gosto de ver. Moderno, inteligentemente projetado e capaz de levar conforto, ele será útil tanto para quem anda de ônibus quanto para quem usa veículo particular. O prefeito Arthur Neto, além de deixar um legado incalculável para Manaus, também estampa seu nome na história da mobilidade urbana de uma metrópole que luta para dar mais espaço aos cidadãos em seu mais sagrado direito de ir e vir. “Nós estamos refundando Manaus, sem esquecer o que já foi feito no passado, mas mudando a cara dessa cidade que passa a ser mais metrópole do que nunca com obras essenciais para a mobilidade urbana, como os complexos viários da Constantino Nery e do Manoa”, destacou o prefeito.

 

MODERNIDADE 

Durante muito tempo Manaus se conformou com pouco. E não é isso que um gestor com visão deve oferecer ao seu eleitor. O novo sistema viário da avenida Constantino Nery é um dos grandes projetos da história da Prefeitura de Manaus, interligando os bairros Nossa Senhora das Graças, zona Centro-Sul, e São Geraldo, zona Oeste, por meio de duas passagens subterrâneas nas ruas Pará e João Valério. O complexo terá três saídas principais: João Valério para avenida Constantino Nery, João Valério para avenida São Jorge e da rua Arthur Bernardes para a rua Pará. Cabe a todos os cidadão mantê-la em ordem, não jogar lixo no chão e não depredar o que é de uso coletivo.

 

BAGAÇA 

O fim de semana foi marcado pelo fechamento de bares e até de casa de forró. Apesar dos cuidados para evitar aglomerações, a vontade de encher a cara parece maior do que o medo do vírus. Se passarmos por uma segunda onda e novo fechamento geral tudo o que foi conquistado até hoje será perdido. Todo mundo sabe o que precisa ser feito, de que forma a vida voltou ao normal e que nessa pandemia, a responsabilidade é dividida. Em outras palavras. Sosseguem o facho.

 

ACIDENTES NO TARUMà

O fim de semana foi de acidentes nas águas do Tarumã. Infelizmente o vice-presidente da ACA, Maurino Nogueira, perdeu a vida em um choque com uma lancha que ainda está sendo investigado. É preciso responsabilidade e cuidado por parte de quem usa transporte náutico, mas também é preciso redobrar a fiscalização. Famílias aproveitam o fim de semana para divertimento, e ninguém quer transformar lazer em tragédia. Capitania dos Portos tem o papel de ficar em cima desse pessoal.

 

FLUTUANTES 

A Visa também passou o rodo nos flutuantes. E não foi só por causa do vírus. A comida que é servida nesses locais precisa ser armazenada e servida em condições sanitárias que não comprometam a saúde do povo. Se tem uma coisa boa nessa pandemia, é que a população aprendeu a ser mais exigente. Quem não gosta de um tambaqui assado? De uma gelada no verão? Mas tudo dentro dos conformes e não dos coliformes. A gente é pobre, mas é limpinho, maninho.

 

NINGUÉM MERECE

É inacreditável a quantidade de lixo jogado na Avenida Brasil, na Compensa.

Não é falta de coleta. É falta de vergonha mesmo de quem joga.

E quem joga depois paga o pato. O lixo volta todo pra dentro de casa, quando chove.

Sem contar a quantidade de rato, barata e doenças que o lixo traz.