Assim como aconteceu com o bilionário Luciano Hang, Neymar também teve o CPF usado por bandidos que conseguiram sacar o auxílio emergencial de R$ 600. A solicitação chegou a ser aprovada e a entrar no cronograma de pagamentos, mas nesse momento está congelada e “em avaliação”. Procurado pela reportagem do UOL, a assessoria do jogador disse que “evidentemente o jogador jamais solicitou o benefício, e desconhece quem possa tê-lo feito. Os representantes do jogador desconheciam a existência da solicitação até serem contatados pela reportagem”.

O govenro afirma que segue investigando e criando mecanismos para evitar fraude. Quem for descoberto burlando o sistema responderá na Justiça e terá de devolver o dinheiro. O presidente Jair Bolsonaro já disse que vai ampliar para mais parcelas, provavelmente para mais três.

Com parceria Repórter Manaós