O idol de K-pop Kim Jaejoong, de 34 anos, causou controvérsia nas redes sociais nesta quarta-feira (31). O integrante do JYJ anunciou no Instagram que tinha sido testado positivo para coronavírus e estava hospitalizado. No entanto, pouco depois, editou o post para dizer que tudo não passava de uma mentira de 1º de abril. As informações são do Jornal Extra.

A reação dos fãs ficou dividida entre alívio por ver que o artista estava bem de saúde e revolta por ele ter brincado com um assunto tão sério. Essa publicação, mesmo editada, já foi excluída.

Jaejoong voltou a se manifestar na rede social sobre o assunto, mudando o tom e pedindo desculpas pela atitude.

“Meu post de hoje … foi longe demais, mas pensei que se as pessoas prestassem atenção nele, elas poderiam ouvir. Este método magoou muitas pessoas e estou recebendo críticas por isso”, afirmou. “Por causar angústia, sinceramente peço desculpas às agências governamentais e profissionais médicos que estão trabalhando duro por causa da Covid-19 e às muitas pessoas que seguem instruções para abandonar seu estilo de vida e estão fazendo todo o possível para superar isso”.

Kim Kang Rip, coordenador da Sede Central de Resposta da Defesa, ressaltou que brincadeiras com coronavírus não devem ser feitas. O cantor pode inclusive ser punido. De acordo com a legislação coreana, enganar um funcionário público ou uma instituição nacional de forma a colocar seu trabalho em perigo pode resultar em até cinco anos de prisão ou multa de até 10 milhões de wones. Embora Jaejoong não tenha agido diretamente com a sede, ele como celebridade tem grande influência social.

No post original, o idol anunciara que tinha pego o novo coronavírus por não ter respeitado o isolamento social e pedira desculpas às pessoas próximas e aos fãs, explicando que teria agido de forma descuidada recentemente, sem dar ouvidos para as orientações das autoridades de saúde para frear o avanço da pandemia.

“Estou infectado com a Covid-19”, dissera na mensagem de 1º de abril, acrescentando que a infecção tinha ocorrido “por descuido” dele em ter desconsiderado “todas as precauções fornecidas pelo governo e pelas pessoas à minha volta”.