A Susam aumentou a oferta de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) aéreas para transferir pacientes do interior para Manaus. Desde o início da pandemia, 120 pacientes já foram trazidos do interior para a capital, por meio de seis aeronaves adaptadas para o transporte de pacientes. Um fluxo exclusivo para Covid-19 foi montado e opera em paralelo ao atendimento de pacientes com outras enfermidades, que também necessitam de transferência. “A Secretaria de Saúde do Estado intensificou o número de aeronaves. Antes nós trabalhávamos com três aeronaves, fizemos um aditamento de contrato em que mais três são direcionadas exclusivamente, para transporte dos pacientes. Esses 50% a mais têm feito com que a gente consiga dar vazão, principalmente, porque o número dos casos confirmados no interior têm aumentado”, ressaltou a titular da Susam, Simone Papaiz.

A lista de pacientes que necessitam de suporte avançado na capital é organizada por meio do Sistema de Transferência de Emergências Reguladas (Sister), vinculado à Susam. “Nós tínhamos, antes do Covid, uma lista em torno de 10, oito pacientes. De maio para cá, praticamente triplicamos, teve dia que a gente chegou a uma lista com 30 pacientes graves e entubados. Todos os dias, o Sister faz um critério de prioridades e avalia qual o paciente que fica em primeiro, segundo, tudo por critério clínico. A gente faz a triagem e a regulagem. Feito isso a gente define como será a transferência”, detalhou o médico intensivista Edson Rodrigues, que coordena o fluxo de UTIs aéreas do Estado.

Nesta sexta-feira (22/05), foram transportados para Manaus cinco pacientes, sendo dois do município de Barreirinha, um de Parintins, um de Boa Vista do Ramos e um de Santo Antônio do Içá. O médico de tráfego Thales Araújo acompanhou o paciente que veio para a capital transferido de Santo Antônio do Içá, um menino de 10 anos, que viajou com o pai.