O delegado Roger Makimoto foi preso em flagrante na noite dessa sexta-feira (27), por está batendo em sua esposa, dentro de um carro, após sair de um bar, em Manaus. De acordo com informações do Boletim de Ocorrência, a vítima relatou que vive a três anos com a autoridade policial, e que na noite de ontem, saiu para buscar o companheiro que estava em um bar com os amigos.

Segundo o B.O, ela (esposa) chegou no local por volta das 22h, e se deparou com o marido acompanhado de outra mulher, supostamente, amante. A vítima pediu Roger entrar no carro, foi então que começou a briga. Ainda de acordo com o relato, o delegado ficou irritado após ela disser que ele merecia ser traído, já que ele gostava de fazer isso. Foi então que ele partiu para cima da jovem de 30 anos, e a atingiu com um soco no supercílio que feriu e acabou sangrando.

A jovem desesperada começou a gritar e pedir socorro ao ver uma viatura da Polícia Militar. O delegado foi preso em flagrante e encaminhado para a Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher. Depois de pagar fiança de R$2 mil reais ele foi liberado. Já a vitíma foi encaminhada para o SPA Danilo Corrêa.

A Corregedoria da Secretária de Segurança Pública do Amazonas vai instaurar um processo administrativo para avaliar a conduta do delegado, que não quis se pronunciar.

Veja a nota da SSP-AM 

Na noite de sexta-feira (27/03), um delegado da Polícia Civil do Amazonas, de 40 anos, foi conduzido por policiais militares da 27a Companhia Interativa Comunitária (Cicom) à Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM) da zona centro-sul, onde foi autuado em flagrante por lesão corporal e injúria, no âmbito da Lei Maria da Penha, tendo como vítima a companheira dele, uma mulher de 30 anos. O crime ocorreu por volta das 22h30, na avenida Nathan Lemos Xavier de Albuquerque, bairro Novo Aleixo, zona norte da cidade.

Na unidade policial, foram realizados todos os trâmites cabíveis. O delegado foi autuado em flagrante e, após pagar fiança no valor de R$ 2 mil, foi liberado. Ele vai responder ao processo criminal em liberdade. O procedimento foi encaminhado à Corregedoria do Sistema de Segurança.

Em face do caso, a Corregedoria Geral do Sistema de Segurança vai abrir um procedimento para apurar a conduta do servidor e analisar punições cabíveis.