Heloísa Périssé está curada do câncer nas  glândulas salivares. Após longo tratamento, extração de tumor, químio e radioterapia, ela disse que não baixou a bola. Em período de pandemia, mandou um recado: “As pessoas me perguntam o que eu aprendi com a doença. Eu digo que não aprendi nada. Só confirmei. Eu pratiquei o que vinha em teoria. Deus é pai, Deus é bom. E quando você consegue ir para um campo de não julgamento, de não se vitimizar, é a sua força bruta que surge. Você coloca sua força onde há força. Você tira de onde tem. Então, não há frustração. E se descobre um grande mundo que, talvez, nunca tivesse sido explorado”.

Ela disse que segue sorrindo e que isso foi muito útil. “Gravei um programa com meu querido amigo Alê de Souza (maquiador e fotógrafo) e disse a ele que estava meio receosa por conta da minha boca, de aparecer assim, com ela ainda tortinha. Ele disse que era isso mesmo, aparecer como sou e como estou. E decidi gravar. Foi muito interessante. Porque faz parte dessa história que eu vivi, é uma marca temporária. Passei por nove horas de cirurgia. os nervos tiveram que ser refeitos, estão voltando aos poucos ao normal da musculatura. Já melhorou bastante. Mas por enquanto é assim que está e vai ficar. E eu não vou ficar sem sorrir”, avalia.