Há cerca de um ano nos Estados Unidos, o atleta amazonense e preparador físico Marcos Vinícius Braga de Andrade(30) divide seu tempo auxiliando em aulas de jiu jítsu e se preparando para participar de grandes competições no país. O objetivo é representar o Amazonas e ajudar sua equipe a disseminar a arte suave aos americanos. Vinícius treina e compete desde os nove anos de idade em Manaus e para chegar onde está como atleta vem conciliando treinos e competições.

Formado há nove anos em educação física no Brasil, profissão que faz dele bem mais preparado pelo seu conhecimento técnico, Marcos Vinícius atuou em academias conceituadas em Manaus e atendeu atletas de grande expressão no Jiu Jitsu, como Micael Galvão e Diogo Reis (ambos conquistaram o Doble Gold Grand Slam).

Marcos é atleta veterano, treina e compete na modalidade há 20 anos, tem um cartel invejável. Pentacampeão amazonense nos anos de 1999, 2000, 2001, 2002 e 2012; Tricampeão da Copa Osvaldo Alves em 1999, 2000 e 2001; Tricampeão Brasileiro (IBJJF), Campeão Norte/Nordeste, Campeão Norte Brasileiro 2008, Campeão da Copa America 2008, Campeão Manaus Internacional Open categoria e absoluto, em 2017; Vice-campeão da Seletiva de Abu Dhabi em 2012; Vice-campeão New York Springs Open em 2017; Terceiro colocado no Newbreed, em Tampa- Flórida; Campeão Miami International Open 2019 e Houston International Open em 2019.
Faixa preta e fluente na língua inglesa, o multicampeão ajudou seu professor Sergio Costa da Equipe Gracie Barra nas aulas dos alunos americanos antes do surgimento dos efeitos do Corona Vírus no país. Em março deste ano ministrou com sua equipe um curso de Self Defense para o Departamento de Polícia de Boca Raton.

E agora, mais do que nunca, vem aplicando seus conhecimentos em seu próprio preparo físico para alcançar os títulos que almeja. O atleta está há exatamente um ano na cidade de Boca Raton, no Sudoeste da Flórida. Faixa preta há cinco anos, ele saiu de seu país com o propósito de se preparar e competir as três competições mais importantes do ano nos Estados Unidos: Pan americano, World Jiu-Jitsu Championship e World No-Gi Brazilian Jiu-jítsu Championship, que aconteceria ainda este ano.
Com o surgimento da pandemia todos os campeonatos foram adiados. “A missão ficou para 2021, estamos passando essa fase sombria no nosso planeta e vamos esperar tudo voltar ao normal e seguir com o propósito de ser campeão nesses três eventos e orgulhar meu país, minha equipe e meus familiares” relata com empolgação o atleta.
Tomando todas as precauções para se proteger, ele se manteve ativo com treinos criados por ele mesmo para continuar sua preparação em casa com seu treinador Sergio Costa, e decidiu continuar em busca dos títulos no próximo ano.