O complexo viário Ministro Roberto Campos será entregue pelo prefeito de Manaus nesta segunda-feira. Dentro do prazo, bem acabado e útil, é a menina dos olhos do final de gestão de Arthur Neto, que não esconde o orgulho pelo resultado final. “O complexo viário Ministro Roberto Campos é, de fato, a maior obra de mobilidade já construída em Manaus, seja por sua magnitude ou por sua funcionalidade, porque integra mais modernidade ao transporte coletivo e mais fluidez e segurança ao trânsito”, destacou o prefeito Arthur Neto.

Prefeito entrega hoje uma das maiores obras da história viária de Manaus.

A estação de transferência São Jorge é composta por duas plataformas: a superior, na avenida Constantino Nery, receberá as linhas troncais; e a inferior, na alça de retorno ao São Jorge, que receberá as linhas de ônibus alimentadoras, ambas são interligadas por elevadores e passarelas, que também permitem a travessia de pedestres na Constantino Nery. “O prefeito Arthur Neto toma decisões acertadas para promover a mobilidade urbana na cidade. Essa obra vai facilitar a vida de muitos usuários do transporte coletivo e contribuir para um tráfego com mais segurança e fluidez”, ressaltou o diretor-presidente do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), Francisco Bezerra.

Bela, moderna e funcional.

MOBILIDADE E UTILIDADE

Em um dos pontos de maior fluxo de veículo de Manaus, o compelxo viário vai amenizar o sofrimento de quem trafega tanto de ônibus quanto em veículos particulares. Bem sinalizada, com passarelas e aberta, a contrução é um show de arquitetura. Na prática, a estação São Jorge funcionará como um miniterminal, proporcionando ao passageiro fazer conexão com diversas linhas de ônibus da cidade, pagando apenas uma tarifa por sentido. “Antes, as pessoas que vinham pela avenida São Jorge, com destino à zona Norte e vice-versa, precisavam ir até o T1 [Terminal de Integração da C. Nery] para realizar a integração. Agora, com essa estação, a conexão é feita assim que os usuários chegam na avenida Constantino Nery que, por conseguinte, ganham tempo em seus deslocamentos. Ademais, as passagens subterrâneas contribuem muito para a melhoria do fluxo de trânsito na Constantino Nery, Pará e João Valério”, explicou o vice-presidente de Transportes do IMMU, Pedro Carvalho.

Segura para os pedestres.

Os usuários poderão iniciar viagem na estação de transferência utilizando o Cartão Cidadão ou por meio do pagamento em dinheiro, na bilheteria da plataforma superior. O valor pago pela passagem será creditado em cartão eletrônico (smart card), que libera o acesso nas catracas. Da mesma maneira, o passageiro que pagar sua passagem em dinheiro na linha alimentadora, ou seja, no seu ponto de origem, também receberá cartão eletrônico na plataforma inferior com um crédito, para fazer a integração do momento e as futuras, por isso, é importante que o guarde. Os usuários que possuem o Cartão Cidadão farão a integração da plataforma inferior para a superior, como já fazem normalmente em qualquer parada de ônibus.

Complexo será oficialmente inaugurado nesta segunda.

Modernidade

O embarque e desembarque de passageiros será feito por um conjunto de 20 portas automáticas, dispostas em ambos os lados da estação de transferência, que tem capacidade de receber até quatro ônibus articulados ou trucados com porta à esquerda por vez, dois em cada sentido da via. Totalmente fechada, para garantir o controle na entrada e saída do usuário, além de maior segurança, a estação terá sistema de monitoramento por câmeras. As portas automáticas terão abertura e fechamento acionados remotamente, por um sensor controlado pelos motoristas dos coletivos.

Fiscais estarão atuando durante todo o dia, para monitorar a operação e a preservação do espaço.

 

O presidente interino do Sindicato das empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram), Marco Aurélio Feitosa, disse que todos os ônibus com portas na lateral esquerda farão parada na estação de transferência. “A identificação dos coletivos pelos usuários vai ser feita por meio das placas ampliadas nas laterais dos veículos, para fácil visualização. Então, assim que o motorista liberar a abertura das portas, por meio do sensor, o usuário poderá acessar o ônibus”, explicou.

 

Os passageiros irão dispor de cadeiras para aguardar os coletivos, além de bebedouros e banheiros masculino, feminino e para Pessoas com Deficiência (PcDs). As rotas e localização da frota também podem ser acompanhadas pelo aplicativo “Cadê Meu Ônibus”, que também já dispõe da opção de recarga de créditos. A estação conta com uma porta ao final do corredor central, que funcionará como somente como saída de emergência.

Conforto para o usuário.

Linhas

 

– PLATAFORMA SUPERIOR

Farão parada na estação de transferência todas as linhas troncais que já utilizam a faixa exclusiva do transporte coletivo junto ao canteiro central da Constantino Nery.

 

– PLATAFORMA INFERIOR

019 – Vila Marinho / Compensa / Avenida São Jorge

020 – Conj. Augusto Montenegro / Cel. Teixeira / Estação São Jorge